É uma disciplina especifica, orientada a promover a integração física, emocional, cognitiva e relacional, a maturidade afetiva e psicosocial, o desenvolvimento do potencial criativo e a qualidade de vida da pessoa (de acordo com o estatuto e código de ética da A.P.I.D - Associação Profissional Italiana de Dançamovimentoterapia).
É uma abordagem corporal que faz uso terapêutico da dança e do movimento, é um instrumento simples e poderoso que permite, através de um gesto, melhorar o próprio modo de ser e estar, física e mentalmente no mundo.

"Em todo ser humano está registrado uma dança, aquela dos gestos, do ritmo cardíaco, do ritmo biológico que anima e pulsa nos indivíduos. Através deste gesto podemos ser nós mesmos, expressando e experimentando novas formas que nos permitem modificar os comportamentos que geram o mal estar físico ou psicológico".

A dança é energia vital, rios criativos que nos colocam na relação com nossas emoções na forma corpórea, concreta. A dança dá corpo às emoções. Neste sentido é terapêutica.

Através do movimento, a DMT possibilita a pessoa a se conhecer melhor, a entrar em contato com partes profundas de si mesma, com sentimentos muitas vezes difíceis de serem expressos verbalmente, e a explorar novas formas de ser e de sentir. Desta forma inicia-se uma modificação de forma fluida no ser, que passa a se escutar sem julgamentos.

A DMT promove a redescoberta do prazer no movimento livre, mas ao mesmo tempo proporciona o desenvolvimento das capacidades e habilidades do ser, é um convite a estar presente em cada movimento e em cada processo da vida.

Na dança terapêutica não existe a idéia de dançar como exibição, "somos dançarinos e espectadores de nós mesmos" e os movimentos não se baseiam num desenho externo e formal de passos, a atenção é colocada em "como nos sentimos", e a partir disto há uma escuta interna e as pessoas aprendem a expressar-se de forma autentica.

Com o desenvolvimento desta escuta interna, todos podem encontrar conseqüentemente um modo de expressão respeitosa ao próprio limite e às próprias possibilidades, e assim uma forma pessoal do movimento nasce da vida interna, sem ter que fazer referências às formas externas, as quais nem sempre há a possibilidade de adaptar-se.

O trabalho é realizado sempre em grupo e em integração.

Como a DMT é um instrumento que se adapta aos limites e possibilidades de cada grupo e de cada ser, qualquer pessoa, independente de suas limitações, mas principalmente através da sua parte sã, pode descobrir novas possibilidades criativas de se comunicar, movimentar e dançar.

A DMT ocupa-se da vivência do "movimento sentido e os sentidos do movimento".